Domingo, 23 de Junho de 2024 07:49
88981351822
Internacional Ciência

Homem fica mais baixo após morar por 100 dias no fundo do mar

O cientista, de 55 anos, estava realizando uma pesquisa na área de biomedicina.

03/06/2024 08h38
Por: Thales Menezes Fonte: IG
Foto: Reprodução / TV Globo
Foto: Reprodução / TV Globo

Um homem realizou o sonho de muitos pescadores ao passar 100 dias no fundo do mar. Joe Dituri tinha como missão uma pesquisa na área de biomedicina a fim de descobrir vantagens e desvantagens de morar por um longo período em um ambiente submerso.

Em entrevista ao programa Fantástico, da TV Globo, o cientista afirmou que a experiência inédita "foi espetacular". Um ano após a aventura, o homem garante que a cura para os males está no oceano.

Joe Dituri chegou a perder quase 2 centímetros de altura, teve aumento de testosterona e afirma que o sono melhorou.

Continua após a publicidade

"Já voltei ao normal, levei seis meses para o processo acontecer. Os astronautas quando vão ao espaço, por exemplo, ficam mais altos com a gravidade zero. Embaixo d'água, submetido a uma pressão duas vezes maior do que a superfície, o efeito é de encolher", afirmou o cientista.

A  experiência aconteceu na Flórida, mais especificamente no Jules'Undersea Lodge, o único hotel submarino dos Estados Unidos. A chegada até o local, que atinge 8 metros de profundidade, tem polos rígidos.

É necessário tomar banho de água doce antes de entrar na água, que pode enferrujar de maneira simples os equipamentos utilizados para sobreviver no mar.

Continua após a publicidade

O apartamento conta com quatro camas pequenas, duas televisões, pias para banheiro e cozinha, janela, geladeira e até máquina de café. O local é confortável e tem espaço para cerca de 6 pessoas.

Quanto ao dia a dia, o cientista costumava cozinhar todo dia, mas também recebia entregas especiais de alguns companheiros, tendo o privilégio de comer pizza dentro do mar.

Além disso, o homem recebeu visitas da mãe e do irmão, que resolveram fazer a surpresa com receio de que o cientista se sentisse sozinho. Ele conta que sentia saudade do sol e do abraço das pessoas, mas que agora, de volta ao plano terrestre, sente falta da vida no fundo do mar.

Continua após a publicidade
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias