Segunda, 15 de Julho de 2024 11:20
88981351822
Internacional Saúde

Bebida alcoólica adulterada pode ter causado a morte de 63 pessoas na Índia

Lote de arrack, destilado típico do Sudeste Asiático, foi adulterado com metanol, diz autoridade local.

27/06/2024 09h31
Por: Thales Menezes Fonte: ESTADO DE S. PAULO COM REUTERS E AFP
Mulheres choram pela morte de um familiar que morreu após consumir álcool adulterado no sul da Índia - R. Satish Babu/AFP
Mulheres choram pela morte de um familiar que morreu após consumir álcool adulterado no sul da Índia - R. Satish Babu/AFP

Pelo menos 53 pessoas morreram na Índia após consumir um lote de bebida alcoólica adulterada, segundo uma autoridade local. O número subiu após várias vítimas hospitalizadas na semana passada não resistirem a complicações de saúde.

Quase 200 pessoas foram internadas desde a última quarta-feira (19) por vômitos, dores de estômago e diarreia depois de tomarem bebidas adulteradas na noite da véspera no distrito de Kallakurichi, a cerca de 250 quilômetros de Chennai, a capital do estado no sul da Índia.

Há, no entanto, divergências em relação ao total de óbitos. A cifra de 53 mortos foi confirmada no último sábado (22) à agência de notícias Press Trust of India por M.S. Prasanth, funcionário do governo de Kallakurichi.

Continua após a publicidade

"Até agora, 53 pessoas morreram e sete pessoas foram presas em conexão com a tragédia do álcool adulterado", disse ele a jornalistas após visitar os afetados no hospital, segundo a agência. Ainda de acordo com a declaração de Prasanth, cerca de 140 pessoas das 193 que foram hospitalizadas após consumirem a bebida estão estáveis.

Outros meios de comunicação divulgaram um balanço de até 56 vítimas fatais. O número, no entanto, não foi confirmado por fontes oficiais, segundo a agência de notícias AFP.

A bebida em questão era o arrack, um destilado à base de flores de coco e cana-de-açúcar típico do Sudeste Asiático e diferente do áraque, bebida árabe de uva e anis. O lote foi adulterado com metanol, afirmou o ministro-chefe do estado de Tamil Nadu, M.K. Stalin, na última quinta-feira (20). Em poucas horas, 37 pessoas morreram, disse ele.

Continua após a publicidade

Todos os anos, centenas de pessoas morrem por consumir bebidas alcoólicas adulteradas na Índia, onde uma boa parcela da população não consegue pagar por produtos de marcas conhecidas. Segundo a AFP, uma fonte do governo local, que se identificou apenas como Palraj, disse que é comum que trabalhadores do distrito de Kallakurichi comprem álcool em sacos plásticos por 60 rúpias (R$ 3,80).

Uma das mais graves tragédias do tipo ocorreu em 1981, quando mais de 300 pessoas morreram na cidade de Bangalore, no sul da Índia, devido à ingestão de uma bebida que, acreditava-se na época, também continha metanol. Na ocasião, a polícia fez 60 prisões, de acordo com o arquivo do jornal americano New York Times.

Desde então, mais de 15 casos como esse foram registrados. Em julho de 2022, mais de 40 pessoas morreram nos distritos de Botad e Ahmedabad, no estado de Gujarate. A maioria das vítimas era formada por trabalhadores agrícolas.

Continua após a publicidade

O último incidente é um dos mais graves já registrados. O metanol, possivelmente usado nesse caso, é normalmente empregado na indústria e, se ingerido, pode causar cegueira, danos ao fígado e morte. O governo estadual disse estar tomando medidas para identificar os envolvidos na produção da substância.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias