Segunda, 15 de Julho de 2024 10:46
88981351822
Internacional Matéria

15 anos sem Michael Jackson: Relembre parcerias do Rei do Pop com cineastas

Cantor faleceu no dia 25 de junho de 2009, aos 50 anos de idade.

25/06/2024 17h29
Por: Gabriel Araújo
Cena do clipe ''Thriller''. Foto: Reprodução/Sony Music
Cena do clipe ''Thriller''. Foto: Reprodução/Sony Music

No fim de junho de 2009, o mundo foi pego de surpresa com a notícia de que Michael Jackson havia falecido. O artista, que já enfrentava problemas pessoais e de saúde há alguns anos, planejava fazer uma turnê de despedida da carreira, que acabou nunca acontecendo. 

Dentre tantos trabalhos de relevância durante sua trajetória artística, Michael por diversas vezes teve estreitas relações com o cinema, seja participando de filmes, ou convidando estrelas do cinema para integrar o corpo de produção de seus projetos. Em memória ao seu legado, vamos relembrar algumas de suas parcerias mais marcantes com cineastas.

O Mágico Inesquecível (1978)

Michael Jackson nas gravações de ''O Mágico Inesquecível''. Foto: Reprodução/Universal Studios

Sidney Lumet (Um Dia de Cão) produziu uma adaptação cinematográfica do musical da Broadway, ‘’The Wiz’’, que se trata de uma releitura da história de O Mágico De Oz, protagonizada por um elenco de pessoas pretas. Na versão do cinema, além de Dorothy ser protagonizada pela cantora Diana Ross, o Espantalho foi interpretado por Michael Jackson, sendo o seu trabalho como ator mais marcante.

Continua após a publicidade

Thriller (1983)

Cena do clipe de ''Thriller''. Foto: Reprodução/Sony Music

Quando migrou para a carreira solo, Michael sonhava alto. Ele queria fazer algo que soasse diferente dos demais da indústria naquele momento. Para seu segundo álbum, trouxe diversas colaborações para trazer uma grandiosidade para o projeto, como a banda Toto sendo os músicos de apoio das canções, a produção de Quincy Jones, a participação de Eddie Van Halen em ''Beat It''. Michael queria produzir um videoclipe ambicioso, mas na época, não era uma mídia tão priorizada para divulgar trabalho, mas após muita insistência, a gravadora aceitou produzir o clipe de ‘’Thriller’’, música que dá nome ao álbum.

Michael teve a ideia do clipe depois de assistir ao filme Um Lobisomem Americano em Londres (1981), de John Landis, e entrou em contato com o diretor para produzir o vídeo. Com forte inspiração no filme de Landis, mas também em longas de zumbis, Thriller foi um marco sem precedentes na cultura pop, revolucionando a forma de fazer um videoclipe, sendo na verdade, um curta-metragem musical. A música conta com um monólogo de Vincent Price, lendário ator de longas de horror da Hollywood Clássica, e ele faz uma ponta no clipe como um dos zumbis. Curiosamente, Michael afirmou algumas vezes que não era fã de filmes de terror.

Capitain EO (1986)

Cena de ''Captain EO''. Foto: Reprodução/Walt Disney Company

O curta, que conta com direção de Francis Ford Coppola (Trilogia O Poderoso Chefão), roteiro e produção de George Lucas (Star Wars) e trilha sonora de James Horner (Titanic), foi feito para promover uma atração dos parques da Disney, nos anos 80. Com fortes inspirações em Star Wars (afinal… né?), a história trata da missão do Capitão EO, interpretado por Michael Jackson, que com sua tripulação, planejam trazer a alegria novamente para o planeta da líder suprema interpretada por Anjelica Huston (A Família Addams). Considerado o pai dos filmes 4D por alguns estudiosos, a atração ficou na Disney por quatro anos, e em 2010, retornou como uma homenagem a Michael.

Continua após a publicidade

Bad (1987)

Bastidores do clipe de ''Bad''. Foto: Reprodução/Sony Music

Para o álbum seguinte, Michael uniu forças com Martin Scorsese (Assassinos da Lua das Flores), um dos diretores norte-americanos mais celebrados, e produziu um curta para a música que dá nome ao álbum. Contando também com Wesley Snipes (Blade) em um de seus primeiros papéis, a pequena trama fala sobre o universitário Darryl, interpretado por Michael, que retornando para o seu bairro após o início do recesso acadêmico, se vê intimidado por antigos amigos, por não o considerarem mais ‘’mau o suficiente’’. Fortemente inspirado por clássicos musicais, como Amor, Sublime Amor (1961), o clipe também é muito marcante na carreira de Michael, e conta com uma piadinha colocada por Scorsese no vídeo, onde vê-se um cartaz na parede da estação de metrô, escrito ‘’Procurado por sacrilégio’’, com uma foto sua, fazendo alusão à repercussão negativa que A Última Tentação de Cristo (1988) teve por parte da comunidade cristã.

Moonwalker (1988)

Cena de ''Moonwalker''. Foto: Reprodução/

Contando com três diretores (Jerry Kramer, Colin Chilvers, Jim Blashfield), Moonwalker é uma obra complicada de se definir. Isso porque não é um filme na concepção mais comumente conhecida, se tratando na realidade de uma espécie colagem dos principais momentos da carreira de Michael, com a adição dos clipes das músicas ‘’Speed Demon’’, ‘’Leave Me Alone’’ e um curta-metragem para ‘’Smooth Criminal’’, que é a única parte narrativa de fato. Mr. Big (Joe Pesci) possui um plano de comercializar drogas para as crianças, e resolve acabar com Michael para conseguir realizar seu plano, mas, bem… como eu explico o resto? Acho que vale ver se você gosta muito do trabalho de Michael. Aqui no Brasil ficou muito popular graças às diversas reprises que aconteceram no SBT.

Black or White (1991)

Michael Jackson e John Landis nas gravações de ''Black or White''. Foto: Reprodução/Sony Music

Repetindo a parceria com John Landis, Michael fez um clipe que respira os anos 90, seja pela presença de Macaulay Culkin, que na época era a principal estrela mirim de Hollywood, pela rápida participação dos Simpsons no fim, pelos efeitos visuais bem característicos de O Exterminador do Futuro 2 - O Julgamento Final (1991). Sem falar que a canção conta com as guitarras de Slash, da banda Guns N’ Roses.

Continua após a publicidade

They Don’t Care About Us (1997)

Cena de ''They Don't Care About Us''. Foto: Reprodução/Sony Music

Em 1996, Michael produziu uma música que por si só já era uma denuncia contra o autoritarismo e a repressão brutal, mas ele foi além. Foram produzidos dois videoclipes para a canção. O primeiro, se passando em um presídio, mostra os presos embalados pelo canto de Michael, se demonstrando insatisfeitos com toda a situação que ele diz na letra. O clipe foi banido da televisão norte-americana, por ter sido considerado chocante por conter imagens reais de violência policial. A segunda versão mudou de país, se passando no Brasil, no Rio de Janeiro e em Salvador, na Bahia, e agora, contando com a direção de Spike Lee (Faça a Coisa Certa). A produção do clipe causou um verdadeiro frisson no país, e contou até mesmo com Spike negociando com traficantes do Morro Dona Marta para a realização das filmagens na favela. De longe é a versão mais marcante, e contou até com a bateria do Olodum integrando a canção.

This Is It (2009)

Cena de ''This Is It''. Foto: Reprodução/Columbia Pictures

Kenny Ortega, diretor de Abracadabra e da trilogia High School Musical, estava dirigindo a turnê final de Michael, e também produzindo um documentário sobre os bastidores e ensaios dos shows. Infelizmente acabou se tornando os registros finais de Michael em vida, nos dando um vislumbre do que estaria presente nas apresentações. Até hoje, é o documentário de maior bilheteria da história.

Menção honrosa: Liberian Girl (1989)

Imagem promocional de ''Liberian Girl''. Foto: Reprodução/Sony Music

Um dos clipes produzidos para o álbum bad foi o de Liberian Girl, sendo na verdade, uma grande união de vários famosos que eram amigos de Michael Jackson, e ele mesmo, só aparece no final do vídeo. Aparecem várias estrelas do cinema no vídeo, como Whoopi Goldberg (A Cór Púrpura), Steven Spielberg (E.T. O Extraterrestre), Richard Dreyfuss (Tubarão), Dan Aykroyd (Os Caça-Fantasmas), John Travolta (Pulp Fiction), e mais. E é o clipe favorito de Michael deste que vos escreve.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias